Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Histórico DA Prom

O Decreto nº 112, de 22 de dezembro de 1841, deu uma nova organização à então Secretaria de Estado dos Negócios da Guerra (atual Comando do Exército), que passou a funcionar com 3 (três) seções: a 1ª Seção, responsável pelo expediente externo e o arquivo, a 2ª Seção, incumbida de realizar as promoções dos militares, e a 3ª Seção, encarregada do material.

A Diretoria de Avaliação e Promoções tem sua a origem histórica neste momento, quando a 2ª Seção da Secretaria de Estado dos Negócios da Guerra passa a gerir as promoções dos militares do Exército, de forma centralizada.

Em 1860, é criada a Repartição do Ajudante-General que, por sua vez, era dividida em três seções. A estas seções competiam as atividades específicas de pessoal, incluindo o recrutamento, as informações semestrais, as promoções e a organização do almanaque. A 3ª Seção incumbia-se das promoções.

No ano de 1868, uma reorganização da Repartição fez-se necessária, e a 2ª Seção recepciona a responsabilidade de gerenciar as promoções dos militares. A 3ª Seção, em 1879, reassume a incumbência das promoções, permanecendo com esta missão, até 1909.

A Secretaria de Estado dos Negócios da Guerra é renomeada como Ministério da Guerra, em 1891, sem, contudo, alterar as missões desempenhadas por suas seções.

A 2ª Seção da Secretaria da Guerra, em 1909, assume a responsabilidade de realizar as promoções no Exército, que foi transferida, em 1915, para a 2ª Divisão do Departamento Central - 2ª (C.2).

No ano de 1921, nova mudança ocorre, e a 1ª Seção da 6ª Divisão do Departamento do Pessoal da Guerra recebe a missão de organizar as listas de antiguidade e merecimento para as promoções, função exercida até 1931. O Departamento de Administração Geral do Exército ficará como responsável por gerir as promoções, de 1931 até 1936.

A Seção do Pessoal do Gabinete do Ministro da Guerra, em 1936, passa a realizar as promoções, até 1946, quando o próprio Gabinete do Ministro da Guerra se torna responsável pela administração das promoções. Em 1952, a Seção do Pessoal da 1ª Divisão do Gabinete do Ministro da Guerra, assume a incumbência de gerir as promoções.

Em 1959, o Exército, passa a ter dois órgãos responsáveis pelas promoções: a Seção do Pessoal da 1ª Divisão do Gabinete do Ministro da Guerra, responsável pelas promoções dos oficiais; e a 1ª Divisão do Departamento-Geral do Pessoal, criado em 1956, encarregada das promoções das praças.

No ano de 1971, o DGP sofre importante alteração em sua estrutura, passando a ser organizado em sete diretorias: Serviço Militar, Movimentação, Inativos e Pensionistas, Promoções, Cadastro e Avaliação, Pessoal Civil e Contencioso de Pessoal.

Na Diretoria de Promoções são aglutinadas as incumbências da Seção do Pessoal da 1ª Divisão do Gabinete do Ministro da Guerra e da 1ª Divisão do Departamento-Geral do Pessoal. Neste momento, as promoções dos oficiais e praças passam a ser geridas, novamente, por um único órgão.

Em março do ano seguinte, o DGP deixa suas instalações no Palácio Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, para ocupar o Bloco “E” do Quartel- General do Exército, em Brasília, onde permanece até os dias atuais.

A Diretoria de Cadastro e Avaliação foi instalada em Brasília, em 13 de abril de 1972, surgindo, em seguida, os primeiros resultados da atividade de avaliação. Também em 1972, a Diretoria de Promoções, que até então funcionava na Guarnição do Rio de Janeiro, foi transferida para Brasília. Neste mesmo ano, foi inserida em sua estrutura a Seção de Cartas Patentes e Apostilas, até então pertencente à Secretaria-Geral do Exército.

Em abril de 1998, criou-se o Sistema de Valorização do Mérito.

Em 2001, após nova reestruturação do DGP, foram extintas as Diretorias de Cadastro e Avaliação e de Promoções, criando-se a Diretoria de Avaliação e Promoções.

A Diretoria de Avaliação e Promoções, herdeira das tradições da 2ª Seção da Secretaria de Estado dos Negócios da Guerra (1841), tem primado pela cultura da excelência, com foco permanente na justiça e imparcialidade, contribuindo, sobremaneira, para os altos índices de credibilidade do Exército.

registrado em:
Fim do conteúdo da página